quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

FELIZ 2009


2009

De um modo geral 2oo8 foi um Bom Ano.
Eu sei que ás vezes me queixo, digo que estou
farta de tudo, que a minha vida é uma m.....
bla,bla,bla, mas olhando para trás não posso
nem quero ser mal agradecida e só tenho de
agradecer e sentir-me muito feliz por tudo
aquilo que recebi. Se o Novo Ano que está
prestes a chegar for igual já me dou por muito
feliz.
A pedir peço: saúde e trabalho.
Que o S. e a S. continuem bem e felizes ,também
com saúde e trabalho.
Que a P. continue com a carinha de bébé/criança
feliz. E também muita saúde.
Tal como este ano gostava de ir uns diazitos
ao Porto Santo e Funchal.
Gostava de comprar um apartamentozito em
Porto Santo para substituir a casa que foi minha
até á pouco tempo.
Gostava de poder controlar melhor a minha
diabetes.
E pronto se receber isto só tenho de sentir-me
muito grata.

O melhor de 2oo8: O Baptizado da P.
A festinha do seu 1º aninho.
Vê-la crescer com saúde.
Termos todos saúde, Claro que temos problemas
nesse campo mas se formos conseguindo controlar
já é muito bom.
As minhas idas ao Porto Santo/Funchal também
foram coisas boas.
E agora só me resta desejar a todos um FELIZ 2009

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

O NATAL

O Natal foi passado em Lisboa em casa da S.
Desta vez só os 5 no sossego do lar.
Jantamos cedo e depois começamos a distribuir
as prendinhas cedo, por causa da P. que é ainda
muito pequenina e não deve ficar acordada até
tarde. De todos os modos quando vimos as horas
já passava da 1h da manhã. E a miúda toda esperta
a andar de um lado para outro.Está tão gira a minha
neta. Já diz uma data de palavras, mas a mais engra-
çada é o "ta quente" isto em relação á comida. Quando
não quer a comida diz logo "ta quente".
Foi bonito ver a carinha dela toda contente conforme
ia abrindo as prendas. A S. pediu para não lhe dar-mos
muitos brinquedos e eu até "obedeci" comprando apenas
1 brinquedo e dando-lhe umas roupinhas muito giras mas
entre todos (familia e amigos) acabou por receber uma data
de coisas. Ela gosta muito de bébés, carrinhos de bébés, e
parece-me que também vai gostar muito de livros que
chama "toias".
O resto da familia também recebeu presentes.
Eu adorei os meus.
Obrigada ao meu/minha Pai/Mãe Natal.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

DE NOVO

E de novo o despertador programado
para as 7h da matina. Não me apetece
mesmo nada.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

domingo, 21 de dezembro de 2008

FELIZ NATAL


PARA TODOS UM FELIZ NATAL.

21 de DEZEMBRO

1ºdia de Inverno.
Dia mais pequeno do ano.

MAIS FUNCHAL

O Funchal está lindo.
Flores por todos os lados. As de Natal e as
outras, tipo estrelicias, orquideas e anturios.
Acho que nunca tinha visto tantas flores juntas.
A iluminação um encanto. Luzes e mais luzes de
todas as cores e feitios. VÃO VER AS LUZINHAS?
Era o que toda a gente nos perguntava. No fim já
nos riamos pois a pergunta já era a esperada.
Já havia animação pelas ruas, mas parece que esta
semana é que começa a sério. De todos os modos
já se respirava Natal.
Gostei de tudo.
De passear pela cidade, de ir ver o mercado de ver
"as luzinhas".
Gostei do almoço dos anos do meu tio.
Gostei de estar com meu irmão.
Adorei a companhia que levei daqui.
Gostei de resdescobrir o Funchal com a S.
A P. é que é ainda muito pequenina para apreciar
tudo aquilo. Mas outras idas até lá virão.
O tempo ajudou. Sol e temperatura amena.
A verdade é que sinto mesmo a falta de tudo aquilo.
É lá que me sinto em casa.
Solução: tentar ir mais vezes ao Funchal e Porto Santo.
Gostava de ter ficado para a Noite do Mercado mas é
mesmo muito perto do Natal e há o risco de poder ficar
lá retida (tipo greve, mau tempo) e passar o Natal longe
dos meus não arrisco.

FUNCHAL






















quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

FUNCHAL







Ai vou eu.

"CABRINHAS"


Desconheço o verdadeiro nome desta pequena

planta. No Porto Santo encontra-se na zona

Norte da ilha e na época de Natal é muito pro-

curada para enfeitar as Lapinhas (Presépios).

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

8 DE DEZEMBRO


Dia dedicado a Nossa Senhora da Conceição.

Antigo dia da Mãe.

Começa o Natal.

E por isso cá em casa já tenho árvore de Natal.

Presépio (pequenino) mas este ano com

direito a Menino Jesus grande (herança da

Minha Mãe).

E o almoço de hoje foi tipicamente madeirense ....

domingo, 7 de dezembro de 2008

APETECEU-ME SER MALCRIADA

E não fui.
No supermercado uma Senhora a olhar
para as cerejas e com uma cara muito
triste: -Estão tão caras!
Estavam carissimas a 13.9o Euros o Kg.
A conversa era para mim, só que nem dei
resposta. A minha cara disse tudo.
Se ela se estivesse a lamentar do custo do pão,
do leite ou mesmo maçãs ou bananas eu até
podia ser simpática e dizer que sim, que está
tudo muito caro e que o dinheiro não dá para
nada.
Agora cerejas, compra quem pode ou quem quer.
Eu a esse preço de certeza que não as compro.
Aliás gosto da fruta própria da época. Adoro uvas
e só as compro no verão. Cada fruta tem o seu tempo
certo e só assim é que me sabe bem.

LUXO

Tomar o pequeno almoço ás 1o Horas da Manhã.
Ficar a preguiçar e a ver Televisão.
Não fazer almoço.
Almoçar Piza.
Sobremesa: Bolo de Mel Da Madeira.
Montar a Árvore de Natal.
E não fazer mais nada.
ESTOU DE FÉRIAS

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

"A FESTA"

Na Madeira/Porto Santo quando se diz "vem para
a Festa" quer dizer vem no Natal. "É para a Festa"
quer dizer que é para o Natal. Agora talvez não tanto
mas á vinte, trinta anos atrás a palavra FESTA era
igual a Natal.
Então lá a FESTA começava no dia 8 de Dezembro, que
também era o Dia da Mãe. No Funchal era o dia oficial
para a inauguração das iluminações natalicias e também
para o comércio enfeitar as suas montras com decorações
de Natal.
No campo tratava-se da matança do porco.
Depois era tratar de amassar os bolos de mel, tratar de
preparar as casas para estar tudo preparado para os
grandes dias.
Pelo dia 16 ,dia em que começam as missas do parto (são
missas ditas de madrugada, pelas 5 H da manhã) e que
têmuma grande tradição na cultura madeirense é altu-
ra de semear as cearinhas para depois enfeitar a Lapi-
nha (Presépio). Também era a altura de encomendar /
comprar as "cabrinhas" para também enfeitarem a
Lapinha.
Depois era combinar o dia em que ia ser cozido o pão
no forno de lenha, os bolos de mel, as broas e os bolos
doces. Entretanto a carne de porco é preparada no vi-
nho e alhos para depois na manhã do dia 25 se fazer
a tão afamada (para os madeirenses) carne frita acom-
panhada com pão também ele frito.
Finalmente a Festa começava a 24 depois da missa do
galo e prolongava-se até ao dia de Reis.
Hoje já não é bem igual , as iluminações natalicias
começam mais cedo, o comércio ainda em Novembro
ornamenta as suas montras com o tema Natal, a
maioria das pessoas já não coze o pão no forno a
lenha, os bolos de mel e as broas compram-se nos
supermercados, a árvore de natal na maioria das
casas substitui a lapinha.
Agora há a noite do mercado para as pessoas faze-
rem as suas compras e há muito mais animação
nas ruas.
De todos os modos ainda é uma época vivida
com muito entusiasmo pelos madeirenses e
apesar das diferenças ainda tentam manter as
tradições.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

NEVE




Lá para as serras está tudo assim.

1 DE DEZEMBRO


1º dia do mês do Natal.

domingo, 30 de novembro de 2008

FRIO


Aquecedores, casacos, camisolas, pijamas

polares, mantas e chá, muito chá quente,

parece que nada é suficiente para este frio

que por cá se instalou e que segundo os

entendidos deve manter-se pelo menos até

quarta feira.

Em casa até que se está bem, confortável e

quentinha ,o pior é mesmo no trabalho, por

mais roupa quente que vista estou sempre

gelada. E sim, é fim de semana prolongado

mas só para alguns a mim coube-me ir tra-

balhar todos os dias, claro que depois tenho

direito a dois dias pelo feriado trabalhado mas

confesso que com este frio preferia ficar em

casa.

E lá para as Serras ainda está pior.

Enfim é o Inverno a dizer que está a chegar....

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

NATAL 1

E influenciada pelo espirito de Natal que já se
respira nas ruas cá do burgo já fiz as primeiras
comprinhas.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

NATAL


E faltam 3o dias para ser NATAL

domingo, 16 de novembro de 2008

De Volta

Já regressei.
Os 2 diazitos em Porto Santo correram bem.
Tratei do assunto que lá me levou e resolvi tudo.
Mas de todos os modos foi bom ir lá. Não me vejo
a viver lá a tempo inteiro, mas que sinto a falta
daquela terra lá isso sinto.
Gostei de voltar ás minhas raizes. Vi a minha casa
de infancia pela última vez. Agora já não me per-
tence e vai ser toda recuperada. Mantenho o sonho
(desejo ) de comprar lá qualquer coisita.
Vi a casa dos meus avós paternos.Continua igual só
que muito mais estragada. A pessoa que a comprou
não a melhorou rigorosamente nada. Acho que tem
a casa fechada. Ainda se encontra no pequeno jardim
da casa restos das flores (mais malvas) que tão mimo-
samente eram tratadas pala tia B.
Vi a rua que tem o nome da minha Mãe.
Gostei de reencontrar a minha amiga (vizinha ) de
infancia.
Gostei de ver a Familia.
Gostei de estar com a Familia.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

AQUI
















QUINTA E SEXTA

Quarta vou estar de novo em Lisboa e quinta e sexta
aqui.

MAIS LISBOA

Ida inesperada até Lisboa para tratar de futuros
projectos. (Por enquanto é só pesquisa.)
Estar com as minhas princesas.
Ir buscar a princesa bebé á creche que
quando me viu fez-me uma festa.
Vir a passear a pé com ela até casa.
Tudo pequenas coisas mas que para mim
são Grandes Coisas e enchem-me de alegria.

sábado, 1 de novembro de 2008

1 DE NOVEMBRO

Dia do "Achamento"
O dia 1 de Novembro é o dia aceite como provável
para festejar o descobrimento da ilha do Porto Santo.
Por isso hoje foi festejado o dia do "Achamento", com
cerimónias culturais e religiosas.

RECOMEÇAR

Trim-trim-trim.
Toca o despertador.
7Horas da manhã.
Ficar mais 1o minutos na cama.
Levantar.
Casa de banho/higiene.
Pequeno almoço.
Ir espreitar o tempo á janela para decidir
o que vestir.
Ir trabalhar.
E pronto desde ontem que voltei á vidinha normal.
As férias acabaram-se.
O melhor: os diazitos em Lisboa (souberam-me a pouco)
e não ter que acordar ao som do despertador.
De resto nada de especial. Mais uma vez não houve
nenhum fim de semana para visitar uma cidade
diferente como tanto me apetecia.
É que me apetecia mesmo ir até Barcelona ou Paris
ou mesmo Londres. Ou simplesmente até ao Funchal.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

HOJE

Sinto-me orfã e mais pobre.
Mas o sonho esse continua...... e ninguém
mo tira.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

SAUDADE

Tenho muitas, muitas saudades. Ás vezes o coração
(ou seja lá o que for) parece que se parte todo de
dor, outras vezes é uma suadade doce e mais fácil
de levar.
Durante muitos muitos anos foi o meu porto de
abrigo, sabia que acontecesse o que acontecesse
tinha ali o meu cantinho e todo o apoio que fosse
preciso. Depois e por causa da doença foi-me men-
talizando (felizmente ou infelizmente?) que esse
"porto de abrigo" já não existia, mas esse Ser con-
tinuava na minha vida. Agora nada.
Nunca mais vi as fotografias que tenho espalhadas
pelos diversos albuns. Bastam-me as duas imagens
que tenho gravadas dentro de mim. Uns olhos
muito tristes de "criança" perdida e a última uma
expressão digna e calma como sempre foi a sua
vida.
Tinha de escrever isto.

sábado, 25 de outubro de 2008

FHOTOS




Duas fhotos retiradas do Google Earth que


não são muito conhecidas.

RELEMBRAR




Em miúda ia todos os anos a esta Igreja á


festa/romaria do Sr. S. Pedro. Curiosamente


não me lembrava desta calçada mesmo á en-


trada da Igreja. Redescobri ontem on Google


Earth.

N^

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

O SEGREDO

Mais uma vez estou a ler "O SEGREDO"
Ajuda-me a acreditar.
E eu quero mesmo muito acreditar......

FELIZMENTE

Felizmente voltou o bom tempo.
Hoje já fez um belo dia de sol e o frio também fez
o favor de ir passear para outras paragens.
Espero que este bom tempo se mantenha por mais
uns tempinhos.
Sei que a chuva faz muita falta mas sinceramente não
gosto mesmo nada.
Viva o Bom Tempo.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

FRIO

O frio já chegou.
Parece que não veio para ficar, pois para
o fim de semana está previsto subida de
temperatura, mas hoje depois de uns dias
de verdadeiro Verão, estava um tempo muito
desagradável,vento, céu coberto de nuvens
escuras e frio. Mas não choveu.

FÉRIAS

Estou de férias. Sete dias. As primeiras
férias deste ano quase a terminar. Já
fui até Lisboa ver as minhas princesas.
A princesa bebé está linda e cada vez mais
esperta. Percebe tudo o que se lhe diz. E
quando quer é mesmo muito meiguinha.
Adoro a minha neta e só tenho pena de
não viver perto dela. Um dia quem sabe....
No domingo fomos aos anos da L. A fes-
tinha foi engraçada para os miúdos, para
a P. foi confusão a mais mas mesmo assim
ela andava toda despachada de um lado
para o outro a brincar com o carrinho de
bebé.
Eu aproveitei para ver parte da familia da M.
Conversei bastante com o meu tio. Ele está
óptimo para a idade que tem. Anda bastante
a pé, detesta ficar em casa e ainda vai pescar.
Ele desde sempre gostou de pescar e sempre
teve barco de pesca/recreio. Desde sempre
os fins de semana eram passados no barco e
no Club Naval. Os anos foram passando mas
os hábitos continuam e acho que isso e o con-
viver com pessoas mais novas ajudam-no a estar
tão bem apesar dos seus já muitos anitos.
Quando eu for "grande" quero ser como Ele.

domingo, 5 de outubro de 2008

LISBOA

Sexta-feira: ida a Lisboa.
Pouco tempo para estar com as minhas princesas.
Quase visita de médico, como diz a S.
Pequena visita que quase nem deu para matar as
saudades.
Mas foi bom, apesar de pouco. Gostei de ir buscar
a P. á creche. Gostei de lher dar o banhinho. Gostei
de lhe ter comprado os brinquedos (um carrinho de
bebé, um bebé e uma alcofinha para o bébe).
Foi lindo ver a carinha de felicidade da P. quando viu
o carrinho de bebé. Os olhinhos riam, a boquinha ria,
toda ela era felicadade. Só por isso valeu a viagem.
Mas lá para o meio do mês vou tirar 1 semanita de
férias e penso estar com elas uns diazitos mais.
Até lá as saudades já são mais que muitas.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

VIDAS PARALELAS

Trabalhavam. Ao mesmo tempo acabaram
de crescer, casaram, compraram casa e carro,
foram mães e avós. Sempre a trabalhar.
Ontem deixaram a empresa onde viveram
parte da sua vida.
Não houve despedidas. Apenas deixaram
cafés pagos no sitio onde todas as manhãs
tomávamos café.

domingo, 28 de setembro de 2008

URGENTE

Reorganizar o meu roupeiro de modo a não
ficar todas as manhãs a olhar para o que lá
está e pensar que não tenho nada para vestir
e depois ter mesmo de vestir qualquer trapinho,
pois ás 9 horas é preciso estar no local de trabalho.
E a desculpa "não sabia o que vestir" não é aceitável.

CHUVA

É Domingo e todo o dia chuveu, chuva essa
acompanhada de trovoada por vezes muito
forte. Frio nem por isso, mas humidade mais
que muita.
É um daqueles domingos que só apetece sofá,
um bom livro, ou uma revista e uma mantinha
(apesar de não estar frio).
Infelizmente não houve sofá, nem mantinha,
mas uma cadeira e secretária.
Infelizmente tive de ir trabalhar e aos domingos
nunca apetece e muito menos se for um domingo
de chuva.
Mas teve de ser.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

CÃES

Desde sempre não gosto e tenho medo
de cães.
Aceito e respeito quem lhes dá mimo e
os adora.
Irrita-me muito que não aceitem o meu
medo e o meu não gostar.
"Não tenha medo, ele não faz mal". E vá
de me enfiar com o dito pela minha frente
sujeita apanhar com lambidelas e afins. E
depois olham-me á espera que eu faça uma
festa ao seu mais que tudo.
Eu não gosto de cães e ponto final.
E as pessoas só têm que respeitar isso.
Acho que não é pedir muito.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

OUTONO

No dia 22 de Setembro ás 16,44H começou o
Outono em Portugal Continental (dizem os
entendidos na matéria). Fez a sua aparição
com um dia bastante tristonho e chuvoso.
Mas foi só para nos lembrar que era mesmo
OUTONO. Depois voltou o bom tempo. Ontem
por idiotice da minha parte não fui á praia, mas
hoje desforrei-me, estava uma bela manhã de
praia e a água do mar estava óptima. Penso que
se calhar foi o último banho de mar por este ano.
Para a semana mesmo que o tempo ainda esteja
bom vou até á capital (já tenho saudades das
princesas) e depois na semana a seguir possivel-
mente já não estará tempo de praia.
Resta-me a consolação que aproveitei quase tudo.
E de todos os modos posso sempre passear á beira-
-mar. E isso faço-o quase todos os dias.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

O SOL TAMBÉM FAZ PARTIDAS

Mais um dia de descanso.
Não fui á praia porque o sol resolveu brincar.
Ora aparecia e ficavamos com a ideia que
afinal ia ser uma manhã de sol, ora escondia-se
e o céu ficava coberto de nuvens.
Frio não estava, mas praia sem sol confesso que
não gosto muito. Ainda me vesti para a praia, mas
quando fui á varanda espreitar o tempo acabei por
desistir da ideia da praia.
Tomada e decião de não ir á praia, resolvi ir vestir
outra roupa e depois ir passear pela beira mar.
Dei o meu passeio ao longo da praia, mas por essas
alturas já o sol tinha regressado e afinal a praia devia
estar mais que boa. (por isso digo que o sol também
prega partidas) Mas não foi mau de todo, além do
passeio ao longo da praia, bebi café na Beira-Mar e
fiz umas comprinhas (desta vez foi comida, que também
faz falta e como estava perto fui ao Mercado comprar
legumes fresquinhos.
De tarde fui tratar de mim.
Amanhã de novo a rotina do trabalho.
Espero que para a semana ainda esteja tempo de praia.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

PREGUIÇA

Muita preguiça é o motivo principal de pouco
ter escrito no blog.
Tenho aproveitado a praia o mais possivel e parece-
-me sempre pouco. Ainda ontem a praia estava óptima.
Calminha como eu gosto e a água do mar estava mais
quentinha do que em Agosto. O pior é que o Verão está
quase a acabar e eu fico sempre a pensar que gostaria
de ter aproveitado melhor esta estaçãoque tanto gosto.
Gostava de ter férias em Agosto.
Gostava de ter feito mais praia.
Gostava de ter passeado mais.
De todos os modos aproveito tudo o que posso.
E o Verão ainda não acabou.
Ainda posso ir mais uns diazitos até á praia.
Ainda posso passear á beira-mar
E ver o pôr do sol, e as gaivotas na praia.
GOSTO TANTO......

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

AUSÊNCIA

Depois de uma pequena ausência eis-me de
volta ao blog. Não, infelizmente não estive de
férias, apenas alguns afazeres não me deixaram
tempo disponivel para o blog. Foram dias muito
bons (com as minhas princesas) dias cansativos
(no trabalho) e dias preocupantes, esses felizmente
parece que estão a ir para o bom caminho.
Pelo meio recebi a visita da minha prima M. que
esteve cá em baixo de férias. Adorei estar com
ela e com os pequenos que estão bem giros.
Ontem fui á praia que estava bem mais calma
mas pareceu-me que em vez de principio de
Setembro já parecia o fim de Setembro ou
principio de Outono.
A chuva já fez a sua aparição, mas por agora
o bom tempo voltou e a temperatura está
agradável.

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

FESTAS




Se estivesse no F. ia para a festa do Monte.


Se estivesse em P. S. ia para a festa da Graça


(a minha festa). A do Monte nem sequer


chegou a ser tradição, agora a da Graça desde


sempre me lembro de ir aquela festa.


Em criança ainda a tarde ia a meio e eu já


andava toda "preocupada" a querer saber


se tinham falado com o Sr.do taxi e a que


horas ele nos vinha buscar. Por esses anos


as pessoas não tinham carro e mesmo taxis


so haviam 2 ou 3. Agora imagino a confusão


que será com as pessoas a quererem chegar


lá todas de carro e sem espaço para estacionar.


Ás tantas até há um parque de estacionamento


e eu nem sei.


Depois ia para o meu quintal, já vestida para a


festa, ver as pessoas que passavam também


para a mesma. Como a Capela é longe por volta


das 7H da tarde já as pessoas iam para lá ( a pé


é mesmo uma boa caminhada). E eu toda


aborrecida que nunca mais chegava o bendito


do taxi.


O que eu adorava aquela festa.


Depois comecei a trabalhar e nunca mais lá fui.


Com a escolha profissional que fiz perdi muita


coisa.Férias de Verão, Natal , Páscoa e muito


mais.


Tenho saudades das férias, das festas e de tudo


o que fez parte da minha vida e que são as


minhas raizes.


Tenho muito medo de ter perdido este comboio


e de já não poder voltar a apanhar um semelhante.

NÃO COMPREENDO

Vem esta gente toda de férias, gastam
uma pipa de dinheiro nas mesmas e
depois em vez de as aproveitar a des-
cansar na praia,na esplanada ou mesmo
a dormir passam manhãs nas compras
(peixe, carne, legumes etc.) Sim eu sei
que as pessoas têm de se alimentar mas
se eu estivesse de férias garanto que não
ponha os meus ricos pezinhos em tais
sitios. Era o que me faltava gastar o meu
dinheiro e depois mais do mesmo.
Há uma minoria mais intelegente que
faz as compras no Continente e depois
manda entregar em casa , mas são poucos,
os outros preferem mesmo andar a perder
tempo pelos mercados a pensarem no
que querem e não querem, uma confusão.

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

PRAIA

A praia está impossivel, muita gente tipo quase
não se poder estender a toalha, putos malcriados,
bolas pelo ar, gente que grita, um desassossego.
Tenho uma solução, se não gosto não vou á praia
e pronto. Mas depois penso: eu não tenho férias,
só vou quando o trabalho me permite, o verão já
vai a meio, qualquer dia é Outono = igual a dias
mais pequenos, tristes e escuros então o melhor
é deixar-me de esquisitices e continuar a ir á praia,
a encher-me de areia e a lavar a cara com a água
salgada do mar como tanto gosto.
Mais uns dias e a praia volta de novo a ficar ao
meu gosto e eu mesmo com confusão a mais
e todos os inconvenientes de uma praia super
cheia lá vou aproveitando pois concordo intei-
ramente com aquela frase que diz " Não deixes
para amanhã o que podes fazer hoje".

domingo, 10 de agosto de 2008

QUASE 1 ANO

Já se passou quase um ano desde que Ela nos deixou.
Sinto muitas saudades, muitas mesmo.
Gostava de estar lá , para junto com a outra família
assistir á missa rezada em sua intenção. Tal não
vai ser possivel. Mais do que o oceano que nos
separa há um trabalho que neste momento não
me deixa ausentar.
Por isso uma outra missa vai ser rezada na Igreja
onde Ela durante todas as férias que aqui passou
ia, não direi que diàriamente mas pelo menos to-
dos os domingos e Dias Santos.

sábado, 9 de agosto de 2008

MUDANÇAS

Estes últimos dias foram de grandes mudanças
na empresa onde trabalho.
Três pessoas que já lá não trabalham.
Depois de alguma discussão com o "big boss"
lá chegaram a um acordo e sairam da empresa,
não ficaram mal de todo e no final o "boss" até
nem se portou mal de todo, mas em minha opinião
algumas atitudes menos simpáticas por parte do "boss"
podiam ter sido evitadas.
Agora aquilo está uma confusão tremenda pois três
pessoas a menos em pleno Agosto não é brincadeira.
A mim já me pediram para trabalhar aos domingos.
De todos os modos a situação financeira da empresa
está péssima e estamos sempre á espera de novos
desenvolvimentos(despedimentos).
Tudo isto deixa-me assustada, insegura e triste, ao
fim e ao cabo já trabalho naquela empresa á 29 anos

terça-feira, 5 de agosto de 2008

E NÃO HOUVE PRAIA


Mais um dia de descanso mas desta vez sem direito
a praia. O dia começou com uma manhã com muito
nevoeiro, mas depois o nevoeiro foi-se e o dia tor-
nou-se bonito e luminoso. Mas vários afazeres não
me deixaram ir até á praia como tanto gosto. Entre
idas ao banco e ás finanças na parte da manhã e uma
reunião do condominio ao fim da tarde não ficou mui-
to tempo para ir até á praia, pelo menos ás horas
consideradas como boas para lá estar.
Como não foi á praia, foi aos saldos, este verão ainda
não tinha aproveitado,e fiz umas comprinhas bem
giras, já com 50% de desconto. E ainda tenho o mês
de Agosto e Setembro para as vestir. O pior é que
por mais compras que faça de manhã é sempre a
mesma pergunta, que visto hoje?
E pronto o dia já se passou, e manhã já acordo de
novo com a musiquinha do despertador/telemóvel.
Ah e nevoeiro voltou de novo ao fim da tarde.

E NÃO HOUVE PRAIA

domingo, 3 de agosto de 2008

DIAS FELIZES

Porque será que as horas felizes passam tão depressa?
Quando estamos infelizes ou mesmo aborrecidos o
tempo parece que nunca mais passa, olhamos o re-
lógio e os ponteiros parecem teimar em não querer
sair do sitio, pelo contrário quando estamos bem os
dias passam num abrir e fechar de olhos.
Foi o que aconteceu este fim de semana, tive a visi-
ta do S. e das minhas princesas e em menos de nada
já estavam de novo no carro de regresso a casa.
No sábado como trabalhei e eles de tarde foram
sair pouco aproveitei da companhia, só hoje é que
estivemos na praia, depois hora de almoço, um
cafézito na esplanada e pronto o dia estava pas-
sado.
Em contrapartida há domingos, principalmente
os de Inverno que de tão tristes e escuros só me
apetece que passem depressa, e esses ás vezes
são longos, longos, longos.
A minha neta está linda e esperta que nem ela.
Adora praia e mar (tem a quem sair) e também
adorou brincar na piscininha, mas isso eu não
vi, pois estava a trabalhar. Também continua
a gostar de brincar com as molas da roupa.
Mais uns diazitos e estão de novo cá em casa
pois parte das férias vão ser cá passadas.
Só é pena não podermos ir ao Porto Santo
como tanto queriamos. Noutro Verão e
noutras férias será.

ESTOU A ESCREVER NA MINHA VARANDA
E OS DIAS JÁ ESTÃO MAIS PEQUENOS.

domingo, 27 de julho de 2008

domingo, 20 de julho de 2008

A TIA EMILIA Se um dia fizer uma pesquisa sobre a minha família, juro que a primeira pessoa a pesquisar será esta tia. Trabalho muito dificilpois apenas sei que se chamava Emília e também o sei o nome dosítio onde tinha casa. Quando á data em que viveu só fazendocálculos, mas nada certo. Como não pertence á família P. nãotenho muitos mais dados. Sei também que era tia da minha avóM. mãe da minha Mãe e que essa minha avó foi criada por essatia. Desconheço se era tia pelo lado materno ou paterno.Não sei se essa tia foi casada ou não, sei apenas que devia sermuito rica (para a época) e que deixou todos os seus bens áminha avó. Curiosamente as pessoas pensam que todas aquelasterras eram do meu avó MGP, mas não na realidade tudo eraproveniente dessa tal herança da tia Emília, a casa inclusive.Essa casa hoje já não existe, ficou para uma tia que depois vendeu.Em seu lugar hoje existe um condominio privado.Mas lembro-me muito bem da casa, como sou a neta mais velhapossivelmente sou a que melhor se lembra das coisas, lembro-medo quarto dos meus avós todo em madeira escura, com um móvelem mármore onde era colocado um jarro e uma bacia em loiça, lem-bro-me da sala de jantar/sala com uma mesa enorme cadeiras e sofá em palhinha, aparadores cheios de copos e loiças lindas.Penso que tudo isso devia pertencer a essa tia, pois quando osmeus avós se casaram ficaram a viver na casa da tia. O meu avóera de "boas familias" mas acho que não tinha dinheiro para comprartudo aquilo que bem me lembro era de muito bom gosto.Também me lembro da minha Mãe contar que quando os meusavós casaram essa tia deu um saco com dinheiro á minha avó, masque o meu avó ao tomar conhecimento disse que como eram casadosele é que passava a administrar os dinheiros. Acho que isso não gostoumuito á minha avó que anos mais tarde educou a filha para ser umamulher independente. Curiosamente a minha avó teve duas filhas e nenhuma se chamou Emília. Por outro lado a minha Mãe que gostavamuito dessa tia também não me chamou assim. Se estou a escrever isto, é porque sinto uma enorme curiosidade emsaber quem seria esta Senhora, e também donde é que viriam todosaqueles bens, bens esses que passaram para a familia P. através deum casamento, mas que pertenciam a um ramo de uma outra familiaque desconheço completamente.Devo dizer que ainda hoje a familia P. usufrui de coisas adquiridaspor venda da herança da tia Emilia. Se vier a restaurar a minha casa lá, será
com o dinheiro de uma venda de um terreno que também faz parte do lote de essa bendita herança.

sexta-feira, 18 de julho de 2008

segunda-feira, 14 de julho de 2008

DEUS DÁ NOZES.......

E enquanto uns dizem que já estão fartos das férias " lá" e
que se pudessem vendiam a casa de férias e bla-bla-bla eu
levo o tempo a pensar como seria bom poder ir lá passar
as férias de verão e ter uma casa para passar o verão junto
com a minha familia. No fundo o que eu sempre quiz. Porque
eu não gostava de viver lá a tempo inteiro mas sempre pensei
que chegando o verão lá estaria eu de regresso para aquela praia
enorme, para o mar quentinho, para as festas de verão e para tudo
o mais que aquele cantinho isolado oferece.
Por motivos de trabalho deixei de poder fazer férias no verão (e sabe
Deus a falta que elas me fazem, assim como de tudo o resto), também
já não tenho casa lá, ou por outra tenho a meias e precisa de ser recu-
perada, espero muito que isso venha a acontecer, quero ensinar a
minha neta a gostar daquele cantinho, já que a minha filha está a começar
a gostar, acho que ela que não nasceu lá sente que também lá poderá
encontrar o "seu ilhéu".

sexta-feira, 11 de julho de 2008

MAIS ???????

Que dizer de uma mulher de 65 anos (mais ou menos)
viúva, mãe e avó que deixa a sua casa e a sua vida (que
até podia não ser muito divertida) para juntar os trapi-
nhos? casar? com um velho de quase 90 anos?
E dizia ela toda ufana: no meio de tantas ele escolheu-
-me a mim.
Mas qual escolher?É alguma feira de gado para escolher?
Se calhar, ele que deve ser muito esperto (ao contrário da
dita) escolheu-a porque era a mais nova e com mais força
para daqui por uns tempinhos ter alguém para lhe limpar
a c.... .
E ela? O que a leva a estragar os últimos anos em que ainda
é uma pessoa activa a aturar um velho?
Solidão ? Então faça voluntariado.
Falta de amor? Goste se si própria, mime-se.
Faz-me confusão. Não consigo perceber.
Amor também não pode ser. Não se gosta de uma pessoa
que conhecemos em meia dúzia de dias...

??????????

Que dizer de uma empresa completamente "de rastos" e á deriva
que nos últimos dois anos a Administração / Direcção, não fez nada
para modernizar e rentabilizar a dita empresa a não ser a colocação
de um livro de ponto para que os funcionários cumpram rigorosamente
os horários de entrada e saida?
Devo dizer que quando esta empresa trabalhava a 98%/100% todos os
funcionários cumpriam com as suas obrigações, fazendo mesmo muitas
horas extras nos dias de maior movimento, horas essas que sempre fo-
ram pagas em tempo nos meses de Inverno quando o trabalho era bem
menor. Nunca nada ficou por fazer e tudo corria sempre bem e nesses
anos gloriosos não havia livro de ponto. (talvez não interessasse)
Agora que a empresa "está doente" e quando era esperado que se pro-
curassem outros mercados e outras vias para a empresa voltar a fun-
cionar a Direcção/Administração preocupa-se com a colocação do dito
livro e com os horários de entrada e saida dos funcionários.
Fàcil, não?

terça-feira, 8 de julho de 2008

PREGUIÇA

Nem sequer sei se é preguiça, o que sei é que não consigo fazer
mais de metade das coisas que penso e quero fazer. Tal como
escrever no blogue. Durante o dia penso no que quero escrever
(notas, ideias, memórias etc. ) Depois chego a casa oriento as
coisas para o dia seguinte e pronto, lá se foi a vontade de escrever.
Os afazeres de casa, aqueles que de facto não são urgentes também
vão sendo adiados e as coisas vão andando assim. Depois os dias de
descanso não dão para nada. Claro que as 2 ou 3 horinhas de praia
também ajudam a atrasar as coisas, mas sabem tão bem. Aí descanso
mesmo. Acho que no fundo o que preciso mesmo é de FÉRIAS, férias
essas que não sei onde e quando serão.

domingo, 29 de junho de 2008

DIA DE SÃO PEDRO


A minha saudade e flores para a minha Mãe que

se fosse viva fazia hoje anos.

FÉRIAS

Hoje sentada á beirinha do mar percebi a minha grande
necessidade de umas férias de verão. Férias de verão
com muito sol, muita praia, muitos jantares fora, esque-
cendo por completo a rotina do dia a dia ou seja trabalho,
casa, limpezas, comida etc etc.
E pensamento atrás de pensamento fui ter ás minhas
últimas férias de verão que até hoje considero as melhores
da minha vida. Foram umas férias super simples e hoje
qualquer miúda que tivesse as mesmas férias chegaria ao
fim das mesmas a dizer que as férias tinham sido uma
grande "seca", mas nos finais dos anos 60 já se poderiam
considerar óptimas. De manhã praia, depois do almoço
uma horinha de sono, depois ir até á vila passear e comer
um gelado. Regresso a casa para jantar e depois vila de
novo.Não haviam bares nem discotecas mas faziam-se
bailaricos mesmo ao ar livre ao som do gira-discos ou
então com um bocado de sorte havia um "conjunto de
garagem" a tocar as músicas da moda. Nesse ano as
músicas de verão eram o"Yellow river" e o "Summer-
time", portanto estas músicas sem serem as que eu mais
gosto são as que melhores recordações me trazem.
Depois haviam as festas religiosas com animação no
exterior, uma banda a tocar e ao final da noite fogo de
artifício. Haviam barraquinhas onde se podia comprar
a carne para a espetada e que depois era assada por nós
próprios nas fogueiras feitas para esse fim. (Graças a
Deus a ASAE ainda não tinha nascido.) Estas festas co-
meçavam com o S.Pedro em Junho e depois prolonga-
vam-se pelos meses de Julho e Agosto. Eram as do Es-
pirito Santo, do Senhor, de Nossa Senhora da Graça, de
nossa Senhora da Piedade. Quando as festas não eram
na Vila eram no Campo, mas não se podia perder nenhu-
ma.
Depois comecei a trabalhar e deixei de ter férias no verão.
Continuo a fazer praia (numa outra) nos dias de descanso,
mas férias no verão nunca mais as tive.
Sinto necessidade de voltar ás minhas origens (não de
maneira definitiva) e voltar a ter casa lá começa a ser
uma prioridade. A ver vamos.

quinta-feira, 19 de junho de 2008

DESILUSÂO

Irrita-me que esses foleirosos e pessimistas tivessem razão
no que diz respeito á nossa Selecção. Agora vai ser ouvi-los
todos contentes porque não conseguimos chegar mais á frente.
Afinal eles é que tinham razão em não acreditar.
Eu tenho pena.

EURO 2008

domingo, 15 de junho de 2008

FIM DE SEMANA EM FAMILIA

Como no dia de Santo António é feriado em Lisboa tive a
sorte de ter a S. a P. e o S. a passarem o fim de semana cá
em casa. Eu própria como não trabalhei nem sábado nem
domingo acompanhei-os mais e aproveitei a companhia para
passear e ir até á praia.
A P. está girissima e esperta que se farta. Foi muito bom
acompanhar os seus primeiros dias de praia. A areia faz-lhe
um pouco de confusão nos pés, mas em contrapartida adorou
a água do mar (mesmo fria) e ainda tomou um belo banho ao
colo do papá. Depois ficou na toalha a brincar com o baldinho
e as outras coisinhas da praia encantada e feliz da vida.
Em casa não fica um minuto sossegada,gosta de ver tudo e
tudo lhe serve de brincadeira desde garrafões de água vazios
até ás molas da roupa. Adora brincar na varanda e se percebe
que alguém vai á rua é a primeira a ir para a porta.
Está mesmo muito muito querida.
Agora já vão a caminho de Lisboa. A casa voltou a ficar triste
e silenciosa e eu já sinto saudades, saudades e mais saudades.

FIM DE SEMANA

domingo, 8 de junho de 2008

TU NÃO SABES

Tu não sabes o que é viver lá fora (ser emigrante), esta frase foi-me dita
a próposito dos emigrantes portugueses estarem a acarinharem e a vibra-
rem tanto com a nossa Selecção. Eu não sei mas imagino, também eu mes-
mo vivendo no meu País, cada vez mais sinto a falta daqueles bocadinhos
de terra no meio do Atlântico. Portanto sou muito capaz de perceber e
imaginar, todos os sentimentos que aquelas pessoas sentem sempre que
alguma coisa os faz sentir perto da sua terra (Portugal).

Manhã de Praia

Finalmente consegui ir á praia.
Confesso que já tinha muitas saudades de sentir a
areia e a água do mar na minha pele.
A manhã estava muito calma, o vento não se fazia
sentir e a água até não estava fria. Já havia uma
série de pessoas na praia, mas não tantas como para
estar a ouvir as conversas dos vizinhos do lado. Neste
mês de Junho, ainda é possível cada um ter o seu espaço.
E agora ao fim da tarde estou sentada na minha pequena
varanda, o meu lugar de eleição assim que chega o bom
tempo. E a minha buganvilia continua florida.

sábado, 7 de junho de 2008

EURO 2008


Ganhamos á Turquia por 2-0.

Parabéns aos nossos jogadores.

Que haja alguma coisa que alegre este Pais

tão tristonho e cinzento. Pelo menos nos

últimos dias sol não tem faltado. E hoje a

vitória da nossa Selecção.

quarta-feira, 4 de junho de 2008

FINALMENTE

Finalmente parece que o bom tempo chegou.
Hoje já fez um belo dia ,diria não de Primavera mas já de Verão.
O que quer dizer que por mais um ano a Primavera não nos vi-
sitou.
De todos os modos hoje já senti aquele calorzinho e só não fui á
praia porque havia outras coisas a fazer.
Mas, comprei uns sapatos para a praia, fui ao cabeleireiro, tratei
dos pés (com direito a pintura na unha) e domingo se o tempo
continuar bom vou iniciar a minha época balnear.
Também finalmente consegui vestir uma das minhas túnicas que
comprei na minha última ida a Lisboa.
Preciso ainda de comprar um bikini, mas não sei quando, talvez

quando já estiver um pouco bronzeada, pois assim branquinha na-
da fica bem. Além disso detesto comprar bikinis, não sei qual a
razão pois gostando tanto de praia devia ser uma compra por
prazer, mas não, só compro bikinis quando preciso mesmo.
Outra compra que detesto fazer, são sapatos de verão, mas
essa eu sei a razão, como tenho o peito do pé alto nada me serve,
sapatos bonitos é só para ver, para calçar é o que não magoa e
esses nem sempre são os que gosto.
De resto adoro comprar camisolas, túnicas e tops.
Com isto já deu para perceber que sou vaidosa, não demasiado
mas lá que gosto de me arranjar e fazer umas comprinhas, isso
de certeza absoluta.

domingo, 1 de junho de 2008

BUGANVILIA


A minha buganvilia continua toda florida.

Só é pena ainda não estar bom tempo para ficar na varanda

a ler até mesmo a jantar como habitualmente o fazia assim

que começava o bom tempo. Continuo á espera da Primavera

que daqui a 21 dias já será Verão.

DIA DA CRIANÇA

Para todas as crianças e especialmente para a minha Neta,
para a Leonor e Francisco, para a Carminho, para a Laura
e para o Diogo um FELIZ DIA DA CRIANÇA.
Que o amor, carinho e ternura estejam sempre presentes nas
suas vidas.

domingo, 25 de maio de 2008

PANDORA

Recebi uma, não é igual á da imagem, pois ainda lhe faltam muitas peças
(só tenho duas) mas também o engraçado é ir fazendo a pulseira aos
poucos, procurando as peças e comprando para assinalar momentos
especiais. Estou toda contente com a minha "Pandora".Obrigada S.
gostei mesmo muito.

DIAS DE DESCANSO

Juntei 2 dias de folga mais o feriado mais 2 dias de feriados trabalhados
e consegui uns diazitos para ir até á capital visitar a S. e a P. Como sem-
pre foram uns dias bem passados, mas desta vez ainda foi melhor pois a
S. tirou 2 dias de férias e passamos bastante tempo juntas. Deu para con-
versar, passear e fazer algumas comprinhas (a nossa perdição), e só não
passeamos mais porque o tempo continua a fazer "cara feia".
A P. está crescida linda e esperta. É muito meiguinha e tenho imensa pena
de não ser avó a tempo inteiro. Gostava de estar mais perto dela e de a
acompanhar mais, mas as coisas são como são e já é bom eu conseguir
vê-la quase todos os meses. Cheguei ontem e já estou cheia de saudades.

domingo, 18 de maio de 2008

DEPOIS.....

O sol escondeu-se, o céu cobriu-se de nuvens escuras e o
tempo voltou a ficar frio e desagradável.
Mesmo assim quando fui dar a minha caminhada ainda
encontrei uns quantos valentes que animados com o ini-
cio de uma manhã bonita tinham ido até á praia. Coitados
vinham todos de volta, embrulhados nas toalhas que o
tempo não estava para camisolinhas de verão e afins.
Para contrariar isto, a minha bunganvília (apesar de pou-
co desenvolvida, está num vaso na varanda) está toda
florida e diz-me que é Primavera.

DE MANHÃ .....

Quem se levantou hoje cedo pôde ver o que é
uma manhã de Primavera. Temperatura amena,
sol brilhante e um céu completamente azul.

sexta-feira, 16 de maio de 2008

PROCURA-SE ....

Aonde está a Primavera?
Procuro urgentemente a Primavera pois já não suporto
estes dias tristes, chuvosos e desagradáveis que mais
parecem dias de Outono, esses sim que quando na esta-
ção certa até podem ter o seu encanto.
Agora preciso de sol e calor, de poder jantar e ler na mi-
nha varanda e de começar a minha praia.
É que já nem sei o que hei-de vestir. Ainda hoje no trabalho
todo o dia senti-me desconfortável ,ora com frio, ora com~
calor, pois além do dilema matinal de nunca saber o que vou
vestir ainda tenho de pensar no factor tempo.

segunda-feira, 12 de maio de 2008

AINDA FÉRIAS


E TAMBÉM QUERO IR AQUI E COMER O MEU
PETISCO FAVORITO " LAPAS GRELHADAS"

domingo, 11 de maio de 2008

sábado, 10 de maio de 2008

FALTA DE TEMPO

Não sei o que se passa mas últimamente parece que o tempo
não dá para nada. Eu até tenho a vida bastante simplificada
cá em casa, somos apenas dois e a nível refeições é tudo do
mais simples, mas mesmo assim não me sobra muito tempo
livre. Em minha defesa digo que normalmente saio de casa
pelas 8.30H da manhã e regresso entre as 18.30H/19.30H,
mas isso é o que acontece a todas as mulheres que trabalham,
portanto o horário está dentro do normal. Depois é o chegar a
casa, é o banho, é o jantar, é o tratar das refeições para o dia
seguinte, é o tratar da roupa e quando dou por mim está na
hora da "caminha". Por sistema não gosto de me deitar tarde,
preciso no mínimo de 7 horas de sono, senão acordo cansada
e mal disposta.
Claro que no meio disto tudo ainda sobra um tempinho para
ver um pouco de TV, ler um livro, (há sempre um na mesa
de cabeceira)escrever no blog (ás vezes) e também de es-
preitar alguns blogs que por um motivo ou outro acho inte-
ressantes.
Mas cada vez mais admiro aquelas mulheres que têm empre-
gos com horários complicados, filhos e ainda chegam a casa e
têm tempo já não falo para as coisas ditas obrigatórias, mas
para aqueles extras como fazer bolos, trabalhos manuais etc
etc.
A propósito de livros acabei de ler "A SOMBRA DO VENTO"
do Carlos Ruiz Zafón. Sinceramente não sei que dizer do livro.
Achei-o um bocado cansativo, mas o final foi surpreendente.
É um livro para ir lendo, tanto pode demorar uma semana
como um mês, eu levei aproximadamente duas semanas.
Mudando de assunto o tempo continua mesmo chato, chuva
e algum vento, não se pode dizer que esteja frio, mas para
aproveitar a praia nem pensar, ainda não é este fds que vou
começar a minha época balnear.

domingo, 4 de maio de 2008

DIA DA MÂE

Hoje dia da Mãe senti muita pena por não poder
fazer aquele telefonema "Feliz Dia da Mãe".
Nos últimos dois anos já não o fiz pois as suas
faculdades mentais já não permitiam receber
telefonemas e também já não conseguia perceber
com quem falava, mas era diferente pois ainda
estava entre nós.
Hoje dia da Mãe, fica aqui a minha muita Saudade.

sábado, 3 de maio de 2008

DIA DE MISSA

Hoje é sábado e fui á missa.
Sou católica, fiz alguns dos sacramentos da igreja e mais ou
menos até aos 18 anos frequentei a igreja e ia á missa quase
todos os sábados ou domingos. Depois por preguiça, porque
hoje não dá jeito,logo vou para a semana foi deixando de ir.
Claro que o trabalhar aos sábados e domingos também não
ajudava muito. Nunca me zanguei com a igreja embora ques-
tione algumas coisas, mas a verdade é que se passavam anos
sem eu por os pés na igreja. No entanto fiz questão de baptizar
a minha filha. A comunhão foi outro dos sacramentos que quiz
que ela fizesse. Ela sem ser católica praticante também ja bap-
tizou a filha.
Eu desde o Verão passado,ou seja desde que a minha Mãe nos
deixou, tenho procurado ir á missa todas as semanas, não é
bem uma promessa, mas quando ela vinha para cá de férias
e ia quase todos os dias á missa e eu lhe perguntava, -O que
é que vai fazer todos os dias á missa?ela dizia -Vou agora por-
que depois de eu morrer ninguém vai rezar por mim. Eu ria-
me (para mim ela nunca ia morrer) e dizia: Se é por isso fique
descansada que eu vou.
E por isto voltei á igreja, a ouvir a missa e a rezar.

domingo, 27 de abril de 2008

MANHÃ DE DOMINGO

Grande stress quando acordei (pelas 8Horas) e descobri que não
tinha insulina. Sim sou diabética a preciso de insulina 2 vezes ao
dia. Não, não me esqueci de comprar, ainda havia uma embalagem
completa no frigorifico, só que já tinha passado o prazo de validade.
Ainda por cima a única receita que tinha era um triplicado e já não
se conseguia ler nada. Para ajudar a festa a farmácia de serviço não
era a que eu sou cliente. Lá me vesti e fui á farmácia, correu tudo
bem pois consegui a insulina, mas tive de a comprar (venda sus-
pensa quer dizer que tenho de arranjar uma receita médica, en-
trego na farmácia e eles devolvem-me o dinheiro, vale a pena pois
custou quase 30 euros. Ás 9.30H já tinha tomado a insulina (um
pouco mais tarde do que habitual mas não foi grave, grave seria
se na farmácia não me vendessem sem a receita médica.
Depois disto vou ter muito mais cuidado em verificar as datas
de validade, pois ficar sem insulina é um risco que não posso
correr.





.

quarta-feira, 23 de abril de 2008

OLHAR O PASSADO


A minha Mãe sempre foi uma mulher independente, basta dizer
que sempre trabalhou e teve o seu próprio dinheiro.
No século passado nos anos 30 uma mulher trabalhar e gerir o
o seu dinheiro não era normal. O normal seria não trabalhar e
se por acaso o fizesse o ordenado ir direitinho para os bolsos do
marido e depois andar a "mendigar" uns tostões para comprar
um vestidinho ou uns sapatinhos.
Ela independente por natureza, devia sentir uma grande tristeza
por uma parte dessa independencia ser-lhe roubada primeiro por
um pai dominador e autoritário e depois por um marido ciumento
e possessivo.
Com o pai ela teve forças para lutar, primeiro namorando aquele
que viria a ser seu marido (depois acabou esse namoro por pressão
paterna) e depois acabando um noivado esse sim bem visto pelos
pais, para voltar de novo ao antigo namorado e casar sem o consen-
timento e benção dos pais.
Mas este casamento apesar de ser um casamento por amor não foi
um casamento feliz. Acho que foram felizes os primeiros anos mas
isso eu não me lembro, só me lembro dos maus tempo em que as
agressões fisicas e verbais eram uma constante.
O meu pai morreu novo e então pude ver a minha Mãe a ir com a
sua vida para a frente, a criar dois filhos com dificuldades é certo,
mas também feliz a gerir a sua vida da maneira que ela gostava e
queria. Nunca mais entrou nenhum homem na sua vida. Para ela
felicidade era não ter de receber ordens de ninguém. Se queria
sair e passear fazia-o. Se nas férias tinha dinheiro para viajar
não pensava duas vezes, lá ia ela ver aqueles sítios que tantas
vezes ensinou ao seus alunos onde se situavam nos mapas de
Portugal e Europa.
E que ninguém lhe desse ordens. Ainda hoje a vejo a dizer:
"Em min ninguém manda".
E enquanto as suas faculdades mentais o permitiram nunca
mais ela deixou que alguém interferisse na sua vida.
A duras custas aprendeu que a sua felicidade não denpendia
de um casamento nem de um homem e que ser feliz só depen-
dia única e exclusivamente da sua vontade.
A min ensinou-me a ser livre e independente.
Mandou-me estudar para fora e sempre me disse para eu tra-
balhar e não depender financeiramente de ninguém.
Hoje se fosse viva não ia gostar muito da minha cobardia.