quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

INVERNO/FRIO

Pouco tenho andado por aqui. Não que tenha algum motivo especial.  Está tudo dentro do normal.
Simplesmente o Inverno e o frio não são os meus melhores amigos, ou antes eu não sou a melhor amiga do Inverno e do frio. Nem sequer é não gostar. Assim como há pessoas que passam muito mal com o calor a mim acontece-me  o mesmo com o frio. Fico sem energia, sem vontade de sair e de me arranjar. 
Só com uma grande força de vontade vou saindo de casa. Umas vezes porque preciso mesmo, outras porque me obrigo a isso. E é por este desconforto tão grande ao sentir frio que no verão naqueles dias muito quentes mesmo que sinta algum desconforto nunca me queixo. Basta eu me lembrar dos dias frios e penso logo que é muito melhor o  desconforto do calor (mas isto é apenas válido para mim pois cada um sabe de si).

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

MUITA ATENÇÃO

Refiro-me às nossas compras e respectivos pagamentos no nosso dia a dia.
No espaço de duas semanas fui enganada/aldrabada por duas vezes. E por minha culpa que não prestei a devida atenção. 
A primeira aconteceu na caixa de um supermercado. Comprei duas embalagens de um determinado produto e a operadora de caixa registou 3 embalagens. Acredito que não o fizesse com má intenção pois na verdade não ia ganhar nada com isso. Estava muita confusão e enganou-se e eu que deveria ter conferido a conta no acto do pagamento só o fiz em casa. Achei que não valia a pena reclamar uma vez que já tinha saído do local. No entanto hoje disseram-me que eu deveria ter voltado lá que eles teriam resolvido o problema. 
A segunda  sinceramente acho que foi mesmo de propósito. Tenho por hábito comprar uma fracção de lotaria pelo Natal e Ano Novo. Portanto antes do Ano Novo fui verificar se tinha ganho alguma coisa com o bilhete do Natal (não ganhei nada) e comprar a do Ano Novo. A empregada perguntou-me se eu tinha preferência por algum número, disse-lhe que não, que podia ser um qualquer. Ela pegou no bilhete meteu-o numa espécie de envelope e entregou-mo. Paguei 15€. Passado a Ano Novo voltei à loja para ver se tinha ganho alguma coisa. Outra empregada diz-me: Só sai amanhã. E eu , mas saiu ontem. Resposta: Não , esta é a lotaria popular. Resumindo paguei 15€ por um bilhete que custava 2€. Portanto no final do dia a empregada tinha em caixa 13€ a mais. Mais uma vez fui eu a culpada que não verifiquei o que me deram. E mais uma vez não tinha como provar.
Portanto enquanto me lembrar destes dois episódios vou conferir tudo muito bem antes da abandonar o local de compra.
Fico danada quando me engano ou me enganam. Neste caso são importâncias pequenas e vou chegar ao fim do mês na mesma. Mas é a atitude e é o meu dinheiro.

sábado, 6 de janeiro de 2018

AVENTURAS E DESVENTURAS DE UMA APRENDIZ

Pois bem, em relação à aprendizagem para  trabalhar com a máquina de costura a coisa não tem sido fácil e vai muito devagar, devagarinho.
Para começar a amiga que me ia ajudar a perceber a mecânica da maquineta, não conseguiu vir no sábado passado cá a casa e entretanto foi de férias. Assim tinha duas hipóteses ou esperava pelo regresso dela ou tentava eu própria avançar. Decidi-me pele segunda hipótese. Li e reli as instruções e lá foi compreendendo o mecanismo da dita. Depois de muitas tentativas lá consegui pôr a máquina a trabalhar. Mas se a costura da parte cima estava toda direitinha a de baixo vinha com a linha toda torcida. Algo estava mal. Voltar a ler as instruções, a olhar bem para os desenhos e finalmente acertei.
A máquina já fazia uma costura toda direitinha. Entusiasmada lancei-me em altos voos. Ao minuto 2 tinha a máquina encravada. Linha (muita) na parte de baixo. Levei uma tarde inteira a tentar tirar as linhas. Com todo o cuidado utilizei, tesoura, pinça, uma agulha grossa e nada. Até dormi mal a sonhar com máquinas e linhas. Hoje valeu-me uma vizinha que tem uma máquina parecida e percebe da coisa. Abriu a máquina e lá conseguiu tirar as linhas enroladas. Agora já tenho de novo máquina operacional. Mas cheguei à conclusão que antes de me lançar em novas aventuras tenho de treinar muito bem esta primeira etapa.
E assim tem sido este princípio de aventura.
Acrescento que as instruções que acompanham a máquina são muito incompletas. Há etapas que quase temos que adivinhar (pelo menos para pessoas cujo conhecimento é 0).

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

DE VOLTA!

Finalmente tenho o meu pc de volta. Foi uma semana praticamente sem visitas ao fb. e aos blogues amigos. Ainda dava uma vista de olhos através do telemóvel mas não é a mesma coisa. Não sei exactamente qual foi o problema. Só sei que de um momento para o outro não conseguia abrir nenhum programa do pc. O técnico informático disse-me que foi um "erro do sistema". Fiquei na mesma sem perceber o que tinha acontecido.
Não me considero uma pessoa viciada deste mundo virtual. Mas que lhe sinto a falta, lá isso sinto. Não deixo de sair ou de fazer o que tenho a fazer para ficar ligada à internet. Mas no fundo acaba por ser uma espécie de companhia e  ajuda a passar o tempo. 
Mas detesto quando o pc tem de ir à oficina. Vem sempre diferente, em formato, em tipo de letra de um modo geral em quase tudo. E eu que de informática pouco percebo lá tenho de me adaptar ao novo formato. Uma chatice.



terça-feira, 26 de dezembro de 2017

DESTES DIAS

E é isto, para certas coisas o tempo voa.
O dia dos meus anos já passou, o Natal idem e daqui a poucos dias temos um ano novinho a chegar.
Do dia dos meus anos e do Natal só tenho a agradecer. Foram dias bem passados junto de quem eu mais gosto. Houve situações tristes mas felizmente temos a capacidade de as aceitar tal como elas são.
E se não as podemos mudar, pelo menos temos a obrigação para nós próprias de as aceitar e andar para a frente. Já a minha Mãe dizia "a vida faz-se caminhando".
E depois o Natal onde há crianças acaba por ser alegre. Temos a obrigação de lhes dar momentos e recordações felizes.
Agora a minha "Mãe Natal" trouxe-me uma obrigação acrescida. Imaginem que a oferta que deixou no "meu sapatinho" foi uma máquina de costura Singer. Eu que nem sei como enfiar o fio na agulha.
Já li e reli o manual de instruções já fui à net mas nada. 
No sábado vem cá uma amiga dar uma ajuda. Para já é o que quero saber. Acho mesmo que é o primeiro passo. 
E a culpada disto tudo é a minha amiga Nina de "O meu pensamento viaja". Mostro tantos trabalhos lindos dela à filha, que a filha achou que eu também podia tentar. Para já pediu-me individuais. Eu que olho para máquina e parece que estou a olhar para um extra terrestre. Até fico nervosa.
E por agora é isto.
Depois vou dando novidades dos meus avanços ou recuos neste novo projecto. 

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

FELIZ NATAL

Um Feliz Natal recheado de coisas boas e docinhas é o que vos desejo de todo o coração.

sábado, 9 de dezembro de 2017

POSTAIS DE NATAL

Eu sou daquelas que gosto muito de receber e enviar postais de Natal.
Infelizmente com a chegada dos telemóveis esse hábito foi caindo em desuso passando a ser substituído pelas mensagens (que usamos para tudo e mais alguma coisa).
Em miúda adorava ir escolher os postais de Natal para enviar aos padrinhos, aos primos e alguns amigos. Com uns doze anos a minha Mãe que nunca teve muita paciência para essas coisas encarregava-me dessa tarefa. E lá ia eu toda feliz escolher os  mais bonitos.
Já Mãe costumava ir escolher com a minha filha os postais que queria enviar à família. Eram momentos bem passados e que nos tornavam mais próximo dos que estavam  longe.
Actualmente só recebo postais dos meus amigos ingleses, que com esses a tradição é para ser cumprida e não alinham em inovações. E eu tenho todo o gosto em lhes enviar também o meu "Christmas Card".