terça-feira, 6 de dezembro de 2016

DOS NOSSOS SERVIÇOS DE SAÚDE.

Exame do marido que já estava confirmado e ontem voltei a reconfirmar e que afinal não foi feito
Menina da recepção que telefonou para dois números de telefones que se encontravam junto à ficha clínica do marido mas ignorou o número de telemóvel que lhe dei aquando da marcação do exame.
Uma ida desnecessária a Faro com todos os inconvenientes para o estado de saúde do marido. Pagamento de ambulância. Ninguém se responsabilizou, ninguém quis saber. Acrescento que o exame ia ser feito numa clínica privada e pago por nós (por sinal  nada barato). O que me leva a dizer que em termos de saúde quer seja no público ou no privado há uma grande falta de respeito/profissionalismo para com os utentes.
O exame está de novo marcado. Logo que o tenha assim como o respectivo relatório peço o livro de reclamações e reclamo por escrito. É que nem um simples pedido de desculpa ouvi.
E que me perdoem os bons profissionais, que também os há, mas infelizmente nestes últimos tempos não me tenho cruzado com muitos.

domingo, 4 de dezembro de 2016

PARABÉNS

A neta mais nova fez anos e lá fui eu dar-lhe muitos beijinhos e cantar-lhe os parabéns.
Depois de três anos seguidos sem o poder fazer, aproveitei esta possibilidade e lá fui eu. Foram uns dias muito bons recheados de muitos abraços e beijos. Até o tempo mesmo com a ameaça constante de chuva deu uma ajudinha. Só ontem, dia do regresso, é que choveu e muito.
Hoje já em minha casa a chuva continua. Preciso mesmo de sair e com esta chuva a vontade é nula. Mas com vontade ou sem vontade lá terá de ser.
O início da semana passada foi complicada e não passei tempo nenhum em casa, depois com a minha saída ficaram muitas coisas pendentes por fazerem entra elas uma ida urgente ao supermercado. E não dá para deixar para amanhã. Novos afazeres esperam-me amanhã e depois de amanhã e todos longes e fora de casa. O que quer dizer que o tempo para estar em casa vai ser muito pouco.
Um bom domingo para quem passar por aqui.

sábado, 26 de novembro de 2016

INVERNO

Depois de uma manha bastante agradável, com muito menos frio do que ontem e até com algum sol, a tarde brindou-nos com um temporal digno de um inverno rigoroso.
Do nada onde o sol brilhava surgem nuvens negras   (luzes acesas ainda não eram 16H), Depois uma trovoada medonha e assustadora acompanhada por chuva muito forte. A trovoada felizmente já foi para longe mas as nuvens escuras e a chuva continuam.
Ainda bem que não fui sair. Detesto estar fora de casa e ser apanhada por um temporal destes.
Ó Inverno chegou mais cedo.

POR CÁ

Tenho andado um pouco afastada do blog.
Ando inquieta e com pouca vontade para fazer ou pensar seja lá o que for.
A vida vai ensinando ao longo dos anos que nada é um dado adquirido, hoje é, amanhã pode não ser. Nada é certo. Mas este viver dia após dia, sem programar o amanhã, sem saber o que fazer, apenas ir esperando dá-me cabo da cabeça. Sei que tenho de andar em frente e o que for será e as decisões que tiverem de ser tomadas serão tomadas, então porque sofrer com antecedência?
A verdade é que não sei viver com a vida em suspenso. Gosto de quase certezas  sabendo que certezas não as há. Gosto de programar. Gosto de pensar no que irei fazer. E neste momento não programo, não penso e não faço nada. 

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

GARANTO

Que não tenho problemas de leitura.
Mas a verdade é que passei anos a ler auto-andorinha em vez de "autorodinha".
Só ontem dei pelo engano.
Porque? Não sei.

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

POR CÁ

Neste momento o que eu menos queria era ter de tomar decisões.
Decisões que de modo nenhum são aquilo que eu quero.
Cansada, muito cansada.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

VELHOTA

És um bocadinho velhota mas és fofinha na mesma. Alice dixit.
E uma pessoa mima tanto uma neta para depois ouvir isto.
Valeu o "fofinha".