domingo, 27 de julho de 2008

domingo, 20 de julho de 2008

A TIA EMILIA Se um dia fizer uma pesquisa sobre a minha família, juro que a primeira pessoa a pesquisar será esta tia. Trabalho muito dificilpois apenas sei que se chamava Emília e também o sei o nome dosítio onde tinha casa. Quando á data em que viveu só fazendocálculos, mas nada certo. Como não pertence á família P. nãotenho muitos mais dados. Sei também que era tia da minha avóM. mãe da minha Mãe e que essa minha avó foi criada por essatia. Desconheço se era tia pelo lado materno ou paterno.Não sei se essa tia foi casada ou não, sei apenas que devia sermuito rica (para a época) e que deixou todos os seus bens áminha avó. Curiosamente as pessoas pensam que todas aquelasterras eram do meu avó MGP, mas não na realidade tudo eraproveniente dessa tal herança da tia Emília, a casa inclusive.Essa casa hoje já não existe, ficou para uma tia que depois vendeu.Em seu lugar hoje existe um condominio privado.Mas lembro-me muito bem da casa, como sou a neta mais velhapossivelmente sou a que melhor se lembra das coisas, lembro-medo quarto dos meus avós todo em madeira escura, com um móvelem mármore onde era colocado um jarro e uma bacia em loiça, lem-bro-me da sala de jantar/sala com uma mesa enorme cadeiras e sofá em palhinha, aparadores cheios de copos e loiças lindas.Penso que tudo isso devia pertencer a essa tia, pois quando osmeus avós se casaram ficaram a viver na casa da tia. O meu avóera de "boas familias" mas acho que não tinha dinheiro para comprartudo aquilo que bem me lembro era de muito bom gosto.Também me lembro da minha Mãe contar que quando os meusavós casaram essa tia deu um saco com dinheiro á minha avó, masque o meu avó ao tomar conhecimento disse que como eram casadosele é que passava a administrar os dinheiros. Acho que isso não gostoumuito á minha avó que anos mais tarde educou a filha para ser umamulher independente. Curiosamente a minha avó teve duas filhas e nenhuma se chamou Emília. Por outro lado a minha Mãe que gostavamuito dessa tia também não me chamou assim. Se estou a escrever isto, é porque sinto uma enorme curiosidade emsaber quem seria esta Senhora, e também donde é que viriam todosaqueles bens, bens esses que passaram para a familia P. através deum casamento, mas que pertenciam a um ramo de uma outra familiaque desconheço completamente.Devo dizer que ainda hoje a familia P. usufrui de coisas adquiridaspor venda da herança da tia Emilia. Se vier a restaurar a minha casa lá, será
com o dinheiro de uma venda de um terreno que também faz parte do lote de essa bendita herança.

sexta-feira, 18 de julho de 2008

segunda-feira, 14 de julho de 2008

DEUS DÁ NOZES.......

E enquanto uns dizem que já estão fartos das férias " lá" e
que se pudessem vendiam a casa de férias e bla-bla-bla eu
levo o tempo a pensar como seria bom poder ir lá passar
as férias de verão e ter uma casa para passar o verão junto
com a minha familia. No fundo o que eu sempre quiz. Porque
eu não gostava de viver lá a tempo inteiro mas sempre pensei
que chegando o verão lá estaria eu de regresso para aquela praia
enorme, para o mar quentinho, para as festas de verão e para tudo
o mais que aquele cantinho isolado oferece.
Por motivos de trabalho deixei de poder fazer férias no verão (e sabe
Deus a falta que elas me fazem, assim como de tudo o resto), também
já não tenho casa lá, ou por outra tenho a meias e precisa de ser recu-
perada, espero muito que isso venha a acontecer, quero ensinar a
minha neta a gostar daquele cantinho, já que a minha filha está a começar
a gostar, acho que ela que não nasceu lá sente que também lá poderá
encontrar o "seu ilhéu".

sexta-feira, 11 de julho de 2008

MAIS ???????

Que dizer de uma mulher de 65 anos (mais ou menos)
viúva, mãe e avó que deixa a sua casa e a sua vida (que
até podia não ser muito divertida) para juntar os trapi-
nhos? casar? com um velho de quase 90 anos?
E dizia ela toda ufana: no meio de tantas ele escolheu-
-me a mim.
Mas qual escolher?É alguma feira de gado para escolher?
Se calhar, ele que deve ser muito esperto (ao contrário da
dita) escolheu-a porque era a mais nova e com mais força
para daqui por uns tempinhos ter alguém para lhe limpar
a c.... .
E ela? O que a leva a estragar os últimos anos em que ainda
é uma pessoa activa a aturar um velho?
Solidão ? Então faça voluntariado.
Falta de amor? Goste se si própria, mime-se.
Faz-me confusão. Não consigo perceber.
Amor também não pode ser. Não se gosta de uma pessoa
que conhecemos em meia dúzia de dias...

??????????

Que dizer de uma empresa completamente "de rastos" e á deriva
que nos últimos dois anos a Administração / Direcção, não fez nada
para modernizar e rentabilizar a dita empresa a não ser a colocação
de um livro de ponto para que os funcionários cumpram rigorosamente
os horários de entrada e saida?
Devo dizer que quando esta empresa trabalhava a 98%/100% todos os
funcionários cumpriam com as suas obrigações, fazendo mesmo muitas
horas extras nos dias de maior movimento, horas essas que sempre fo-
ram pagas em tempo nos meses de Inverno quando o trabalho era bem
menor. Nunca nada ficou por fazer e tudo corria sempre bem e nesses
anos gloriosos não havia livro de ponto. (talvez não interessasse)
Agora que a empresa "está doente" e quando era esperado que se pro-
curassem outros mercados e outras vias para a empresa voltar a fun-
cionar a Direcção/Administração preocupa-se com a colocação do dito
livro e com os horários de entrada e saida dos funcionários.
Fàcil, não?

terça-feira, 8 de julho de 2008

PREGUIÇA

Nem sequer sei se é preguiça, o que sei é que não consigo fazer
mais de metade das coisas que penso e quero fazer. Tal como
escrever no blogue. Durante o dia penso no que quero escrever
(notas, ideias, memórias etc. ) Depois chego a casa oriento as
coisas para o dia seguinte e pronto, lá se foi a vontade de escrever.
Os afazeres de casa, aqueles que de facto não são urgentes também
vão sendo adiados e as coisas vão andando assim. Depois os dias de
descanso não dão para nada. Claro que as 2 ou 3 horinhas de praia
também ajudam a atrasar as coisas, mas sabem tão bem. Aí descanso
mesmo. Acho que no fundo o que preciso mesmo é de FÉRIAS, férias
essas que não sei onde e quando serão.