domingo, 7 de novembro de 2010

PEDAÇOS DE MIM

Adoro aquela velha canção do Antonio Prieto
"La novia". Adoro porque a acho linda, no en-
tanto sempre que  a oiço os sentimentos que
me surgem são negativos. Só me trazem á memó-
ria violencia psicológica, não comigo pois na
época em que apareceu o filme/ canção era ainda
uma miúda e pouco percebia de sentimentos ( ou
talvez não) mas com alguém muito próximo.
E ao ouvi-la volto a viver tudo o que nunca vou
esquecer e que fez de mim a pessoa que hoje
sou, com horror a "amarras" a quer ser cada vez
mais livre e liberta. A poder entrar e sair. Sem
questionários, sem horas. É que há coisas que não
se esquecem....



Poder ver o mar todos os dias, vê-lo nas suas variadas
cores e estados é uma coisa que agradeço todos os dias.
Hoje estava calmo, azul esmeralda e lindo.


A minha Mãe ensinou-me a ser livre. Só não me ensinou
ou eu na minha pressa da liberdade não aprendi é que é
preciso ter calma e esperar pela liberdade. Estudar e plani-
ficar é preciso. Depois o caminho está aberto.
Eu fui pelo caminho mais fácil. Mas pronto agora está feito.
Mas fui livre nas minhas escolhas.

1 comentário:

MARIINHA disse...

Sabes que vi esse filme há muitos anos, no cinema da minha terra? Lembro-me também da canção, que começava assim "Blanca e radiante vai la novia.. Não era mais ou menos isto? A noiva ia casar obrigada.
Casamentos sem amor, deve ser um tormento.Felizmente que hoje as coisas já não são assim.
Nada como podermos ser nós a fazer a nossa escolha,podemos não ter sorte, isso acontece, mas foi na altura o que queríamos fazer.
Beijos e boa semana